De todos os planetas aquele que é mais temível é sem dúvida o planeta Plutão. Pois ele está ligado à morte do nosso velho ego, assim como às grandes transformações em nossa vida. É o planeta da morte e do renascimento. Quer seja o signo que uma pessoa tem uma coisa é certa entre os seus 36 e 39 anos a sua vida vai passar por uma grande mudança e transformação.

Plutão afeta a nossa consciência a necessidade de poder, de controlo, quer seja em termos sexuais, nas finanças nas nossas profundidades em tudo que está oculto. Tem também grande influência a nível da cura e da nossa regeneração. Muitas pessoas encontram o seu prepósito de vida na quadratura de Plutão ou seja mudam radicalmente de vida (entre os 36 /39 anos).

Os aspetos positivos de Plutão trazem sucesso, magnetismo, vontade, força mental e física. Os aspetos difíceis destroem, manipulam, trazem obsessão, violência e em última instancia fatalidade.

A chave para se compreender a natureza dos ciclos plutonianos é perceber que eles se manifestam sempre em termos de opostos, tanto nos podem dar alegria e felicidade assim, como dor, perda e escuridão, ampliando a consciência e nos tornando mais completos e autênticos.

Todo o ser traz dentro de si pedras preciosas por lapidar, essa é a função de Plutão.

O ciclo de Plutão tem como função e propósito a eliminação ou a morte de tudo o que está velho e estagnado tudo aquilo que já não serve o nosso prepósito kármico e é tóxico dentro da psique e do corpo. É como um vulcão dentro de nós, que entra em erupção, lançando para fora tudo o que estava inconsciente, soterrado ou reprimido pela ação do tempo e do esquecimento.

Como Plutão lida com as forças do destino a sua posição mostra como essas mudanças irão afetar cada pessoa individualmente. Plutão sendo um planeta transpessoal e coletivo afeta fortemente as instituições (financeiras, governamentais, e sociais) derrubando tudo o que estava obsoleto do ponto de vista ético e moral, ou seja Plutão tem o grande carisma de trazer a superfície tudo o que está oculto.

Também em questões de relacionamentos pessoais e íntimos encontramos a transformação e a ira plutoniana. Podemos viver perdas ou separações de pessoas muito próximas que “acordam” em nós sentimentos que não estavam a ser vividos com verdade e coerência.

Plutão Deus da transformação pode-se equiparar à Fénix, que se transforma e renasce das cinzas para uma nova vida.

Partilhar: